O PEP Sexual pode ajudar…; mas é melhor prevenir! Não sabe o que é PEP?

   pep2

Sabemos como ocorre a infecção do vírus HIV, também conhecemos sua forma de prevenção. Isso fica claro, pois segundo a “Pesquisa de Conhecimentos, Atitudes e Práticas da População Brasileira de 15 a 64 anos de idade” (PCAP), ligada ao Ministério da Saúde, 96% da população sabe que as relações sexuais desprotegidas estão relacionadas à transmissão do HIV/Aids; e 97% das pessoas conhece a importância do uso de preservativos nas relações sexuais como forma de prevenção ao contágio do HIV.

Entretanto, parece existir uma grande distância entre conhecimento e prática, ou seja, sabe-se o que fazer, mas muitos se colocam em situações de risco. Com parceiros casuais, 65% dos homens informaram ter utilizado preservativos e 45,5% das mulheres. Ou seja, parcela significativa das pessoas – quase a metade – fez sexo desprotegido.

Entre os jovens de 15 a 24 anos, a situação é preocupante, pois a taxa de detecção do vírus HIV aumentou significativamente. Em 2004, foram notificados 3.453 casos, uma taxa de detecção de 9,6 por 100mil habitantes; em 2013, foram notificados 4414 casos, ou seja, uma taxa de detecção de 12,7 por 100mil pessoas. Os jovens não estão se protegendo, apesar do conhecimento sobre o assunto, campanhas para esse público são fundamentais.

Saiba mais sobre o assunto:

Boletim Epidemiológico de HIV/Aids de 2014

http://www.aids.gov.br/publicacao/2014/boletim-epidemiologico-2014

30 anos de luta contra a Aids

http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2014/dezembro/01/panorama-2013.pdf

A mídia brasileira enfocando os jovens como atores centrais na prevenção de DST/Aids e hepatites virais

http://www.unesco.org/new/fileadmin/MULTIMEDIA/FIELD/Brasilia/pdf/Midia_brasileira_internet_final.pdf

AIDS:

http://www.planetabio.com/virus.html

Bem, nesse cenário temos: 39 mil pessoas infectadas pelo HIV por ano, são mais de cem casos por dia (107 infecções)!

Alguns casos poderiam ser evitados com a PEP, sabe o que é o PEP – profilaxia pós – exposição? Quando ela deve começar? Por quanto tempo precisa ser feita? Quais são os medicamentos utilizados?

pep

            Gostaríamos de deixar claro que o uso de preservativos é fundamental –e que a profilaxia pós-exposição – É UMA MEDIDA EMERGENCIAL, ou seja, não substitui a prevenção!

A profilaxia pós-exposição, a partir de julho de 2015, é unificada para profissionais de saúde expostos a acidentes de trabalho com sangue contaminado, vítimas de violência sexual e sexo consentido, desprotegido e em situação de risco. Nesse último caso, refere-se ao não uso do preservativo ou o rompimento do mesmo – o médico precisa avaliar os riscos. A PEP envolve o uso de medicação antirretroviral – que combate o HIV – para evitar a infecção viral.

A PEP precisa iniciar o quanto antes, recomenda-se começá-la duas horas após a exposição, o tempo limite é de até 72h após o contato. O tratamento ocorre por 28 dias sucessivos e sem interrupção. A pessoa receberá um coquetel antirretroviral composto por: lamivudina + atazanavir + tenofovir + ritonavir.

A rede de tratamento conta com 517 Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA), 712 Serviços de Assistência Especializada (SAE) e 777 Unidades de Distribuição de Medicamentos (UDM)

A PEP está disponível nos postos de Serviços de Assistência Especializada em HIV/Aids (SAE). O link abaixo permite visualizar o SAE mais próximo da localidade da pessoa que necessita do atendimento:

http://www.unesco.org/new/fileadmin/MULTIMEDIA/FIELD/Brasilia/pdf/Midia_brasileira_internet_final.pdf

Saiba mais sobre a profilaxia pós-exposição:

O que é PEP?

http://www.giv.org.br/HIV-e-AIDS/PEP-Profilaxia-P%C3%B3s-Exposi%C3%A7%C3%A3o/index.html

Saúde lança protocolo para uso de medicamentos em situações de exposição de risco ao HIV

http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/cidadao/principal/agencia-saude/18785-saude-lanca-protocolo-para-uso-de-medicamentos-em-situacoes-de-exposicao-de-risco-ao-hiv.

 

A conscientização é muito importante, o uso de preservativos é fundamental, pois evita a exposição ao HIV e a outras DSTs.

Campanhas educativas podem reduzir os casos de contaminação pelo vírus HIV, e, assim, deixar o PEP sexual apenas para situações de emergência.

Que tal assistirmos a um filme sobre situações dramáticas vividas por crianças? Numa das histórias, há o caso de transmissão vertical do vírus HIV da mãe para a criança. Você sabia que o tratamento da mãe soro positivo com antirretrovirais, durante a gestação e parto, reduz o risco de contaminação da criança de 25% para cerca de 2%?

Filme: Crianças Invisíveis

https://www.youtube.com/watch?v=IxmBRrbEhFA

O conhecimento é um forte aliado para a prevenção contra o HIV/Aids.

ABS

Okuma

Anúncios