Quando menos é mais! Regra dos 5Rs.

des

 

Vamos refletir? Temos em casa muitos produtos que quase não utilizamos, ou ainda pior, coisas que nunca usamos: são livros, revistas, cds, tênis, blusas, perfumes etc.  Vamos admitir, compramos por impulso! Talvez, se pensássemos um pouco mais não teríamos comprado, pois não precisamos de tantas coisas.

Em outras situações, fomos levados pela Obsolescência Programada.  Já ouviu falar neste termo? Bem, esse conceito é recente e está associado a menor durabilidade dos produtos, ou cria-se sensação de que o produto está ultrapassado e somos impelidos a ter algo novo. Chegamos a ter vergonha de possuir um produto antigo – apesar de plenamente funcional – não é assim com os celulares?

Costuma-se dividir a Obsolescência Programada em: Obsolescência Percebida: sentimos que temos algo velho e não-funcional – “fora de moda”. E a Obsolescência Funcional: ocorre quando o produto é projetado para ter menor tempo de vida útil – “são os objetos semidescartáveis e descartáveis”.

Para saber mais sobre a Obsolescência Programada, sugerimos a leitura do artigo:

http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/desenvolvimento/obsolescencia-programada-os-produtos-sao-feitos-para-durar-pouco-778525.shtml.

Vale a pena assistir também aos Documentários: The Light Bulb Conspiracy – (legendado em português)

https://www.youtube.com/watch?v=47MtorEITLA.

A História das Coisas:

https://www.youtube.com/watch?v=7qFiGMSnNjw

A produção dessas coisas que ficam “num canto qualquer” de nossas casas – paradas e acumulando poeira-, envolvem extração de matérias-primas, gasto de energia, mão de obra, ou seja, geram impactos ambientais.

Precisamos mudar nossa forma de consumir. A Regra dos 5 Rs, certamente, será uma forte aliada:

  • Repensar: estamos, de fato, precisando deste produto? Ele é útil? Não posso ficar com o modelo que tenho? O novo modelo gasta pouca energia? Foi fabricado de forma sustentável? Quando refletimos sobre esses pontos, temos maiores chances de realizarmos escolhas mais assertivas.
  • Recusar: não precisamos trocar constantemente de celular, computadores, carros – vamos ficar atentos às armadilhas da Obsolescência Programada. Podemos e devemos recusar produtos que gastam muita energia e são pouco duráveis.
  • Reduzir: quando reduzimos nosso consumo, há também economia de matéria e energia. Consumir menos materiais, água e energia é fundamental. Já ouvir falar no termo BYO – Brought Your Own (traga a sua própria) refere-se a simples atitude de fazer “uso da própria caneca” que economiza vários copos descartáveis. Vamos aderir ao “BYO”?
  • Reutilizar: podemos reutilizar potes e garrafas, dar prioridade a produtos retornáveis, utilizar os dois lados do papel, fazer bloquinhos de rascunho, produzir brinquedos e artesanato com matérias recicláveis.
  • Reciclar: precisamos separar o lixo para ser reciclado, guardar o óleo para ser entregue nos postos de coleta; dar destino às pilhas, lâmpadas fluorescentes e equipamentos eletrônicos, para que esses materiais não poluam o ambiente.

Sejamos consumidores conscientes!

 ABS

Okuma