A Inteligência é Genética? Sim, em parte!

dr

   Talvez você já tenha tido aquela aula inaugural de genética, sabe? Aquela em que agente define palavrinhas básicas e corriqueiras do “genetiquês”, como por exemplo: alelos, homozigoto, heterozigoto, genótipo, fenótipo etc.

E estava eu em uma determinada sala de aula trabalhando pela primeira vez esses conceitos com meus alunos, mas batendo forte no conceito de fenótipo (conjunto de características morfofisiológicas); assim:

FENÓTIPO = ação do genótipo (genes) + influência do meio

Portanto, fica claro que nossas características (fenótipo) dependem não só de nosso material genético, mas também dos diversos fatores do meio (alimentação, clima, cultura etc).  Aí alguém perguntou: ” a inteligência pode ser considerada fenótipo?” E eu respondi: sim! Logo em seguida perguntaram: Então a inteligência é genética? E eu respondi: sim, em parte.

Nem sempre as pessoas aceitam a participação genética na formação da inteligência, pois muitos acreditam que ela se forma apenas no meio cultural-social, na convivência, durante a aprendizagem, na escola, no trabalho, no dia-a-dia etc. Claro que tudo isso é importante para a formação da inteligência humana, mas o DNA também! Pequisas mostram  que a participação genética na formação da inteligência é de cerca de 50%.

Mas antes de mais nada, vale a pena lembrar que o conceito de inteligência não é tão simples assim. Alguns diriam que a “inteligência é a capacidade de resolver problemas”, outros diriam ainda, como o pesquisador estadunidense Howard Gardner, que não existe uma única inteligência e sim “múltiplas inteligências” ou “múltiplas habilidades”, também chamadas de inteligência emocional. Assim, na concepção de Gardner, existem 8 (ou mais) tipos de inteligências ou habilidades: intrapessoal, interpessoal, musical, lógica-matemática, visual-artística, naturalista, corporal e linguística. Nesse caso, talvez o Einstein teria uma inteligência lógica-matemática excepcional, mas ele seria um desprezível jogador de futebol perto do Mané Garrincha (campeão mundial de 1962), cuja inteligência corporal fugia dos padrões normais. Vale ressaltar que, segundo alguns, Mané Garrincha era semianalfabeto e tinha desempenho lamentável em testes de QI. Mas quem você acha mais inteligente: Garrincha ou Einstein? Qual dos dois é gênio? Você se atreveria a comparar?

der

  Mas, conceituação a parte, inteligência tem relação direta com o cérebro (com diversas áreas cerebrais) e  suas características: número de neurônios, tipos de neurônios, tamanho e quantidade das redes de sinapses nervosas (comunicação entre as terminações dendríticas e axônicas). Pois é, e segundo pesquisas científicas  toda essa estrutura cerebral depende da expressão de diversos genes. Segundo pesquisa publicada na revista Nature Genetics,  a mutação em apenas um desses genes, pode alterar a inteligência. Por exemplo, a mutação do gene HMGA2 (uma timina sendo substituída por uma citosina) provoca aumento do volume cerebral em cerca de 3 centímetros cúbicos, com consequente aumento na capacidade do chamado QI (coeficiente de inteligência).

Ah, pensa que eu só vou encher a bola do DNA? Não, o meio é muito importante também para a formação de nossas habilidades intelectuais. Muitos estudos indicam que rola uma “plasticidade” do cérebro. Isto é, o cérebro se “adequa” a uma necessidade do meio. Os tipos de neurônios, os tipos de sinapses e principalmente a quantidade de sinapses têm forte relação com a atividade que alguém exerce no seu meio. Se uma criança, por exemplo, for submetida a um ambiente favorável de aprendizagem, como leitura, desafios matemáticos, desafios através de jogos pedagógicos adequados, exercícios físicos dosados, arte, música etc haverá em seu cérebro a formação de um maior  número de sinapses nervosas e talvez de sua inteligência (ou habilidades).

Para saber um pouco mais, leia:

http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/cientistas-afirmam-que-metade-da-inteligencia-vem-dos-pais/ 

http://www.cartacapital.com.br/saude/inteligencia-e-genetica

Bjs

TONON

Anúncios

Ah! Arte Barroca, história, música e……………………………cocô! Lindo, só que não!

A cidade histórica de Tiradentes, no estado de Minas Gerais, é belíssima. Suas casas coloniais, sua rica culinária, seu agito cultural. Possui a segunda Igreja mais rica em ouro utilizado na ornamentação, trata-se de Igreja Matriz de Santo Antônio, na qual ocorre a apresentação da organista Elisa Freixo, às sextas – feiras à noite; ela toca um órgão do século XVIII que apresenta 630 tubos – é uma riqueza sonora indescritível.

tiradentes

Ruela da Cidade de Tiradentes e sua Arquitetura Histórica

            É um dos grandes cartões postais do Brasil, pena que sua população de cerca de 7551 pessoas (segundo o IBGE) convive com o lançamento direto de esgoto no córrego Santo Antônio. Imagem triste, de cheiro desagradável, que mancha o retrato dessa cidade para os turistas brasileiros e de outros países. Infelizmente, esta é uma realidade frequente nas cidades brasileiras.

         corrego

Córrego Santo Antônio

    Sabe quantos domicílios brasileiros não dispõem de saneamento adequado? Quanto esgoto não tem rede adequada para ser encaminhado para as estações de tratamento? Quantas cidades brasileiras não monitoram a qualidade de suas águas? Quantas cidades não têm planos de saneamento básico?

           pig

O problema é que saneamento não dá voto e o povo nem sempre cobra das autoridades o seu papel

       Bem os dados são alarmantes! 30% das residências brasileiras não dispõem de saneamento adequado. Cerca de 62% do esgoto não encontra rede adequada para ser encaminhado às estações de tratamento de esgoto, ou seja, vão contaminar o ambiente. Aproximadamente metade das cidades Brasileiras não possui sistemas de monitoração da qualidade das águas ou planos de saneamento básico.

Parece que o nosso saneamento básico parou no tempo, assim, como nossas cidades históricas.

Para saber mais, sugerimos os artigos:

62% do esgoto do País ainda tem como destino a natureza:

http://www.cartacapital.com.br/dialogos-capitais/62-do-esgoto-do-pais-ainda-tem-como-destino-a-natureza-8833.html.

Brasil não trata a maior parte do esgoto urbano:

http://www.senado.gov.br/noticias/jornal/emdiscussao/escassez-de-agua/materia.html?materia=brasil-nao-trata-a-maior-parte-do-esgoto-urbano.html

Outro ponto para refletirmos: temos os dois rios que figuram entre os dez mais poluídos do mundo! São: o Rio Tietê, que atravessa a cidade de São Paulo, e o Rio Iguaçu – localizado na cidade de Curitiba.

Assista ao documentário: Entre Rios para entender melhor a situação do Rio Tietê.

https://www.youtube.com/watch?v=Fwh-cZfWNIc

Esta realidade precisa mudar, a falta de tratamento de esgoto está associada à veiculação de uma série de doenças como: cólera, amebíase, giardíase, hepatite A, gastroenterites. Além de provocar a eutrofização que afeta, totalmente, a biodiversidade das águas.

Saiba mais sobre a eutrofização:

http://www.planetabio.com/poluicao.html

A conscientização sobre essa realidade é fundamental para possamos mudar este quadro e mostrar que a cultura de um povo, também, se faz pelo respeito ao meio ambiente.

 

ABS

 

Okuma

Quando menos é mais! Regra dos 5Rs.

des

 

Vamos refletir? Temos em casa muitos produtos que quase não utilizamos, ou ainda pior, coisas que nunca usamos: são livros, revistas, cds, tênis, blusas, perfumes etc.  Vamos admitir, compramos por impulso! Talvez, se pensássemos um pouco mais não teríamos comprado, pois não precisamos de tantas coisas.

Em outras situações, fomos levados pela Obsolescência Programada.  Já ouviu falar neste termo? Bem, esse conceito é recente e está associado a menor durabilidade dos produtos, ou cria-se sensação de que o produto está ultrapassado e somos impelidos a ter algo novo. Chegamos a ter vergonha de possuir um produto antigo – apesar de plenamente funcional – não é assim com os celulares?

Costuma-se dividir a Obsolescência Programada em: Obsolescência Percebida: sentimos que temos algo velho e não-funcional – “fora de moda”. E a Obsolescência Funcional: ocorre quando o produto é projetado para ter menor tempo de vida útil – “são os objetos semidescartáveis e descartáveis”.

Para saber mais sobre a Obsolescência Programada, sugerimos a leitura do artigo:

http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/desenvolvimento/obsolescencia-programada-os-produtos-sao-feitos-para-durar-pouco-778525.shtml.

Vale a pena assistir também aos Documentários: The Light Bulb Conspiracy – (legendado em português)

https://www.youtube.com/watch?v=47MtorEITLA.

A História das Coisas:

https://www.youtube.com/watch?v=7qFiGMSnNjw

A produção dessas coisas que ficam “num canto qualquer” de nossas casas – paradas e acumulando poeira-, envolvem extração de matérias-primas, gasto de energia, mão de obra, ou seja, geram impactos ambientais.

Precisamos mudar nossa forma de consumir. A Regra dos 5 Rs, certamente, será uma forte aliada:

  • Repensar: estamos, de fato, precisando deste produto? Ele é útil? Não posso ficar com o modelo que tenho? O novo modelo gasta pouca energia? Foi fabricado de forma sustentável? Quando refletimos sobre esses pontos, temos maiores chances de realizarmos escolhas mais assertivas.
  • Recusar: não precisamos trocar constantemente de celular, computadores, carros – vamos ficar atentos às armadilhas da Obsolescência Programada. Podemos e devemos recusar produtos que gastam muita energia e são pouco duráveis.
  • Reduzir: quando reduzimos nosso consumo, há também economia de matéria e energia. Consumir menos materiais, água e energia é fundamental. Já ouvir falar no termo BYO – Brought Your Own (traga a sua própria) refere-se a simples atitude de fazer “uso da própria caneca” que economiza vários copos descartáveis. Vamos aderir ao “BYO”?
  • Reutilizar: podemos reutilizar potes e garrafas, dar prioridade a produtos retornáveis, utilizar os dois lados do papel, fazer bloquinhos de rascunho, produzir brinquedos e artesanato com matérias recicláveis.
  • Reciclar: precisamos separar o lixo para ser reciclado, guardar o óleo para ser entregue nos postos de coleta; dar destino às pilhas, lâmpadas fluorescentes e equipamentos eletrônicos, para que esses materiais não poluam o ambiente.

Sejamos consumidores conscientes!

 ABS

Okuma

Fômites, “eca”! Ops! Você não sabe o que é isso?

Quantas vezes tocamos nosso rosto ao longo do dia (boca, olhos e nariz)? Já viu pessoas se alimentando e mexendo nos celulares? Sabe por que precisamos dar a descarga com a tampa fechada? Por que necessitamos, periodicamente, higienizar as escovas de dente? Bem, todas essas questões estão relacionadas aos fômites que são objetos, estruturas ou substâncias capazes de absorver, reter e dispersar microrganismos, larvas e ovos de parasitas de uma pessoa a outra.

fo
Como tocamos nosso rosto de duas a três vezes por minuto. Ao longo de um dia são aproximadamente três mil toques, ou seja, situações nas quais fômites podem ser transportados à boca, ao nariz e aos olhos, e, assim, os microrganismos e parasitas tem acesso ao nosso organismo, podendo desencadear doenças graves, por exemplo, cólera, gastroenterites, diarréias, gripes. Veja o quanto de caca é espalhada por um simples espirro http://www.youtube.com/watch?v=z4uhZo54ls0
As pessoas não deixam os sapatos em cima da mesa durante as refeições, certo? Além da falta de educação, é uma tremenda falta de higiene, mas não é raro vermos pessoas com os seus celulares à mesa! Imagina se soubessem que os celulares têm duas vezes mais bactérias que a sola de um sapato. Pois é, não é nada saudável mexer nos celulares durante a refeição. Por isso, eles precisam ser limpos, frequentemente, com álcool isopropílico, isso vale também para tablets e i-pads. Saiba mais sobre a contaminação dos celulares na reportagem: https://www.youtube.com/watch?v=Pj2NP5ZAzzI.
Já dar a descarga com a tampa a aberta cria uma dispersão de material fecal que pode ficar em suspensão no ar até por duas horas contaminando os objetos encontrados no banheiro. Aliás, e, por isso, também que não se recomenda deixar as escovas de dente próximas às pias do banheiro que, em geral, ficam ao lado do vaso sanitário. Vamos guardar nossas escovas de dente em um local seguro?
Outra medida importante é higienizar, ao menos uma vez por semana, as escovas de dente.  Como podemos fazer isso? Basta mergulhar a escova de dente em antisséptico bucal por cerca de dez minutos, ou em água fervente pelo mesmo intervalo de tempo. Finalmente, precisamos lavar constantemente as mãos para impedir que os fômites nos contaminem, outra saída e ter sempre em mãos pequenos frascos de álcool gel. Que tal reforçarmos nossas idéias sobre o assunto assistindo ao documentário Contágio, trata-se de uma verdadeira Aula de Microbiologia e de Epidemiologia!

 

ABS

 

OKUMA

O Consumismo é o Inimigo da Natureza, segundo o Papa Francisco

Você vai falar de religião? Bem, essa não é nossa intenção. Mas não podemos fechar os olhos para a importância política que o Papa Francisco (e o Vaticano) vem assumindo nos últimos anos.  Em sua gestão, o Papa Francisco adota atitudes que viram notícia que repercute em todos os meios, inclusive no meio científico.

Na encíclica sobre o Cuidado da “Casa Comum”, o Papa Francisco detonou um estilo de vida baseado apenas no consumismo desenfreado, atribuindo-lhe a principal causa dos problemas ambientais nos últimos anos.

de

A encíclica reúne vários argumentos bem fundamentados sobre como o homem moderno, especialmente o urbano, adota um modo de vida  incompatível com a preservação ambiental e de como vem rompendo cada vez mais com o altruísmo, com a vida em comunidade e com os valores que nos deixariam, em tese, mais humanos e menos consumistas.

Abaixo, relacionei algumas das colocações mais interessantes contidas na encíclica papal:

1) Toda a pretensão de cuidar e melhorar o mundo requer mudanças profundas nos estilos de vida e nos modelos de produção e de consumo.

2) Corrigir modelos de crescimento incapazes de garantir respeito ao meio ambiente.

3) União de toda a família humana na busca do desenvolvimento sustentável.

4) Numerosos estudos científicos indicam que na maior parte do aquecimento global é devida à alta da concentração dos gases estufa.

5) São louváveis e, às vezes, admiráveis os esforços dos cientistas que procuram dar solução aos problemas criados pelo ser humano. Mas, contemplando o mundo, damo-nos conta de que este nível de intervenção humana, muitas vezes, a serviço do sistema financeiro e do consumismo, faz com que esta terra onde vivemos se torne menos rica e bela, enquanto que ao mesmo tempo o desenvolvimento da tecnologia e das ofertas de consumo continua a avançar sem limites.

6) Propostas de Internacionalização da Amazônia só servem aos interesses econômicos das corporações internacionais.

7) É preocupante o desaparecimento dos ecossistemas constituídos por manguezais.

8) Não é conveniente para os habitantes deste planeta viver cada vez mais encobertos de cimento, asfalto, vidro e metais, privados do contato físico com a natureza.

9) As dinâmicas do “mass media” e do “mundo digital“, quando onipresentes, não favorecem o desenvolvimento de uma capacidade de viver com sabedoria, pensar em profundidade, amar com generosidade. Ao mesmo tempo, tendem a substituir as relações reais com os outros.

10) A deterioração ambiental afeta principalmente os mais pobres. Por exemplo, o esgotamento das reservas ictíicas prejudica especialmente as pessoas que vivem de pesca artesanal e que não possuem qualquer maneira de substitui-la. Os excluídos são a maioria do planeta, vários bilhões.

11) Culpar o incremento demográfico em vez do consumismo exacerbado e seletivo de alguns é uma forma de não enfrentar os problemas. Pretende-se legitimar o modelo distributivo atual.

12) A comida desperdiçada é como se fosse roubada da mesa do pobre.

13) Geralmente quando as multinacionais encerram suas atividades, deixam grandes danos humanos e ambientais, como o desemprego, aldeias sem vida, esgotamento de algumas reservas naturais, desflorestamento, empobrecimento agrícola e pecuária local, crateras, colinas devastadas, rios poluídos e algumas poucas obras sociais que já não se podem sustentar.

14) Preocupa a fraqueza da reação politica internacional. Há demasiados interesses particulares e, com muita facilidade, o interesse econômico chega a prevalecer sobre o bem comum e manipular informações para não ver afetados os seus projetos.

15) Cresceu a sensibilidade ecológica das populações, mas é ainda insuficiente para mudar os hábitos nocivos de consumo, que não parecem diminuir.

16) Hoje a Igreja (católica) não diz, de forma simplista, que as outras criaturas estão totalmente subordinadas ao bem do ser humano, como se não tivessem um valor em si mesmas e fosse possível dispor delas à nossa vontade.

17) Cada criatura possui a sua bondade e perfeição próprias. As diferentes criaturas, queridas pelo seu próprio ser, refletem, cada qual a seu modo, uma centelha da sabedoria e da bondade infinita de Deus.

18) Quando se propõe uma visão de natureza unicamente como objetivo de lucro e interesse, isso comporta graves consequências também para a sociedade.

19) O fato de insistir que na afirmação de que “o ser humano é a imagem de Deus” não deveria fazer-nos esquecer de que cada criatura tem uma função e nenhuma é supérflua.

20) É evidente a incoerência de quem luta contra o tráfico de animais em risco de extinção, mas fica completamente indiferente perante o tráfico de pessoas.

21) A indiferença ou a crueldade com as outras criaturas deste mundo sempre acabam de alguma forma por repercutir no tratamento que reservamos aos outros seres humanos.

22) Toda crueldade contra qualquer criatura é contrária à dignidade humana.

23) O meio ambiente é um bem coletivo, patrimônio de toda a humanidade e responsabilidade de todos nós.

24) A verdade é que o homem moderno não foi educado para o reto uso poder, porque o imenso crescimento tecnológico não foi acompanhado por um desenvolvimento do ser humano quanto à responsabilidade, aos valores, à consciência.

25) Tornou-se anticultural a escolha de um estilo de vida, cujos objetivos possam ser, pelo menos em parte, independentes da técnica, dos seus custos e do seu poder globalizante e massificador. O mercado, por si mesmo, não garante o desenvolvimento humano integral, nem a inclusão social.

26) Ninguém quer o regresso à Idade da Pedra, mas é indispensável abrandar a marcha para olhar a realidade de outra forma, recolher os avanços positivos e sustentáveis e ao mesmo tempo recuperar os valores e os grandes objetivos arrasados por um desenfreamento megalômano.

27) Renunciar a investir nas pessoas para se obter maior receita imediata é um péssimo negócio para a sociedade.

28) Não há sistemas que anulem por completo a abertura ao bem, a verdade e a beleza, nem a capacidade de reagir que Deus continua a animar no mais fundo de nossos corações.

Um Bjão

Tonon

Seu Sanduíche de ATUM sob Ameaça!

atum

Você sabia que nesse exato momento, em praticamente todos os oceanos, está ocorrendo uma nova dinâmica dos seres aquáticos? Novas migrações, novas disputas, novas adaptações, enfim, como diria um amigo meu, uma nova “geopolítica dos bichos marinhos”

Tudo isso em função do aquecimento global, você sabia? Bem, a atividade fotossintética, realizada pelas algas que compõem o fitoplâncton, sequestra” cerca de 25% do CO2 (gás carbônico) emitido para a atmosfera. Mesmo assim, segundo estudos publicados pela Revista New Climate Change, a concentração de carbono na atmosfera esse ano excedeu 400 ppm, um record.

Assim, o aquecimento das águas oceânicas poderá estar provocando a extinção de muitas espécies de invertebrados e vertebrados marinhos e, ao mesmo tempo, migrações de várias espécies (economicamente exploradas) para águas mais distantes e adaptáveis. Desta forma, uma espécie que predominava em determinado ecossistema poderá deixar de ser “dominante”, pois terá que competir com espécies “estrangeiras” imigrantes.

Estudos indicam ainda que o aquecimento global pode provocar desaceleração do crescimento do fitoplâncton, base das cadeias alimentares oceânicas, consequentemente haverá menor biomassa disponível para os outros níveis tróficos, inclusive afetando o número de peixes e crustáceos economicamente importantes para a indústria pesqueira. SEU ATUM PODE ESTAR SE TORNANDO MENOS VIÁVEL ECONOMICAMENTE!!! Estima-se que no Brasil mais de 100 espécies de peixes marinhos encontram-se sob ameaça de extinção.

Saiba mais em: http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/2015/06/1638510-concentracao-de-carbono-na-atmosfera-pode-mudar-a-vida-marinha.shtml 

Um bjão

TONON

MEC- Autoriza Funcionamento de Curso de Medicina no Albert Einstein – São Paulo

Bem, é claro que você já deve ter ouvido falar da excelência do Hospital Albert Einstein que atende a parte mais abastada da população paulistana. Ocorre que o MEC-Ministério da Educação e Cultura- autorizou o funcionamento de um curso de Medicina pela gloriosa instituição. A princípio, seriam oferecidas 100 vagas para os vestibulandos que teriam que conquistá-las por meio das notas do ENEM.  Não foram divulgadas ainda informações sobre os valores das mensalidades, mas provavelmente serão picantes.

Recentemente, meus alunos do Colégio Presbiteriano Mackenzie participaram de um workshop no Einstein, realizado  para divulgar seus cursos aos vestibulandos interessados na área de saúde: fisioterapia, enfermagem, psicologia e medicina. Bem, o evento foi uma várzea: tumultuado, muita gente, improdutivo, desconfortável e desorganizado. Muitos desses alunos ficaram decepcionados com o evento, principalmente porque tiveram uma excelente experiência em evento parecido promovido pela Faculdade de Medicina da USP.

Claro que não podemos relacionar o workshop mal sucedido do Einstein ao curso que ele pretende gerenciar. Há todas as condições favoráveis para que a gloriosa instituição ministre um curso excelente, inclusive, além do próprio Einstein, os alunos poderão usufruir do Hospital M’Boi Mirim (público, mas gerenciado pelo Einstein) durante o processo de aprendizagem. Saiba mais lendo essa notícia: http://g1.globo.com/educacao/noticia/2015/07/mec-autoriza-hospital-albert-einstein-abrir-curso-de-medicina.html 

Então tá bom! Um bjão!